quinta-feira, 31 de maio de 2018

Tomai, isto é o meu corpo!


“Tomai, isto é o meu corpo”(Mc 14,22) são as palavras pronunciadas por Nosso Senhor Jesus Cristo que é bendito para sempre! Nossa Senhora sua santíssima mãe também é bendita por que carregou por nove meses o Salvador da humanidade, como afirmou o Anjo Gabriel: "Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente" (Lc 1,31-32). E mais, ela foi o sacrário vivo de Deus, prova disso foi quando "Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo" (Lc 1, 41). Oh Pão Vivo descido do céu, Jesus Sacramentado, como diz São João Paulo II: “Alimentar-nos dele significa receber a própria vida de Deus, abrindo-nos à lógica do amor e da partilha”. Quão precioso é receber o Corpo e o Sangue de Jesus na Santa Missa, por isso São Francisco de Sales nos adverte acerca de duas espécies de pessoas que devem comungar com frequência: “Os perfeitos, para se conservarem na perfeição, e os imperfeitos, para chegarem à perfeição”. Oh quão santas são as palavras pronunciadas na Eucaristia, tamanha responsabilidade é a tua presbíteros, pois a cada sacrifício da Santa Missa é assistido pelo Espírito Santo e, no momento da Consagração, “miríades de anjos estão presentes para adorar a Deus! Ali estão eles, de todos os coros angélicos, desde os mais altos serafins até os anjos custódios. Onde está Deus, estão os santos anjos também”. Confirma São Cirilo: “Não ponhas em dúvida se é ou não verdade, mas aceita com fé as palavras do Salvador; sendo Ele a Verdade, não mente”. Também Santo Afonso afirma: “Depois de morrer consumido de dores sobre um madeiro destinado aos maiores criminosos, vos colocastes sob as aparências do pão, para vos fazerdes nosso alimento e assim, unir-vos todo a cada um de nós. Dizei-me: que mais podíeis inventar para vos fazer amar?”. Oh fieis leigos quão zelosos tens que ser ao receber o Nosso Senhor, pois, Ele é digno de toda honra e toda glória para sempre. Santo Agostinho já nos exortava nesse sentido: “A mesma carne, com que andou (o Senhor) na terra, essa mesma nos deu a comer para nossa salvação; ninguém come aquela Carne sem primeiro a adorar…; não só não pecamos adorando-a, mas pecaríamos se a não adorássemos”. Por fim irmãos, tende consciência que “Sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós” (1 Coríntios 3:16), por isso mantenha o limpo, puro e sem mácula, pois, se o fizermos afirma São Tomás de Aquino seremos: “Preservados dos pecados mortais, porque a comunhão confere o aumento da graça que nos preserva das culpas graves” e “introduz-nos antecipadamente na vida eterna” conclui o Papa emérito Bento XVI.

Wander Venerio Cardoso de Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário